Home
Como emagrecer no inverno!
Compulsão,vício por doces!
Emagrecer usando sua imaginação!
Laudo para cirurgia bariátrica
Livro Pense Magro - Judith Beck
Pensemagro
Depoimentos
Orientação on-line !
Pense Magro
Quem Somos
A profissional
História de Sucesso - Rejane Sbrissa
Tabelas
Obesidade
Cirurgia Bariátrica,quando o que se perde é mais que apenas peso.
O que é?
Você sofre de obesidade?
Obesidade Infantil
Obesidade na Adolescencia
Nutrição
Disturbios Alimentares
Você se Conheçe?
Auto Imagem
Fome Fisica x Fome Emocional
Como Emagrecer
Diabetes
Orientação Nutricional
Testes
Adolescentes
Pronto para Manter o Peso?
Sua Auto Imagem
Você se conhece?
Receitas Pense Magro
Fale Conosco
 
Pensemagro - Depoimentos
Envie seu depoimento pessoal para rejanesbrissa@pensemagro.com.br que publicarei no site.Me ajudem a ajudar outras pessoas.
Obrigada
Rejane
 
*"Descobri com a Rejane que para emagrecer não basta fazer exercícios e
mudar a alimentação; tem que aprender a pensar como magra, para de pensar
como gorda. É um processo difícil, mas que vale a pena. É preciso ter
coragem de se enfrentar e perseverança para não desistir. O caminho é
longo, mas a recompensa ao final vale a pena! Ainda estou em processo de
mudança de pensamento e comportamentos, mas já sinto que mudei bastante, e
para melhor, sem dúvidas. Obrigada."*

Obrigada por tudo.
Um grande beijo, e até a próxima!

Viviane
Fev/2014 
 
 É claro que eu queria ser bela como Deborah Seco e sexy como a Juliana Paes. Nenhuma mulher é louca de dizer o contrário. Do mesmo modo, ninguém dirá que não gostaria de ter a fortuna do Eike Batista. (Fico imaginando o nível dos respectivos pares). Mas e eu, assim como a maioria das mulheres, que não tenho o padrão “Deborah Paes” de qualidade? Será que por conta dos quilos a mais serei sujeita a eterna infelicidade e nunca terei alguém para amar? Será que por causa dos traços mais fortes da imperfeição nunca sairei de casa e atrairei os olhares e os desejos do sexo oposto? Minha resposta é não e, diga-se de passagem, não tenho a menor dúvida disto!

Alguns anos atrás a mulher tinha grande dificuldade em ser “algo a mais” que mãe-dona-de-casa ou professora. Não estou dizendo que estas duas funções são menos importantes, na verdade, acredito que são as duas mais importantes na formação de qualquer ser humano digno. Porém, se a mulher queria algum reconhecimento extra, era preciso vencer os concursos de beleza. Enquanto isto, os homens conseguiam atingir seus objetivos pessoais sem a utilização da beleza física. Acredito ser este o motivo das mulheres serem muito mais vaidosas que os homens.

Deve ser muito gratificante ser miss, mas não é pré-requisito para ser feliz. Eu possuo uma beleza “normal” nunca conseguirei ser destaque apenas utilizando o físico. Isto não me deixa infeliz, pois tenho que a certeza que conseguirei o “algo a mais” utilizando a capacidade de pensar e ser agradável.

Mas qual é o fundamento das inúmeras preocupações com a estética? O problema é que a sociedade ainda apresenta a tradição antiga (mesmo inconsciente) que, quando a mulher quer o reconhecimento ou uma condição financeira melhor, tem que ser bela. (As belas ganham algum concurso de beleza e tem maiores chances de casar com um homem rico). Ainda acreditamos que, para ser admirada, amada, precisamos ser belas e magras, uma Barbie. Nós mulheres, vivemos uma busca irracional e incansável pela beleza, uma não aceitação das gordurinhas, das rugas, dos cabelos rebeldes, dos olhos e cabelos castanhos... Não acreditamos que nossa capacidade está além da beleza física.

Tenho a certeza que não posso mudar o mundo, apenas posso mudar o meu mundo, a minha maneira reagir com o espelho. Quando olho no espelho minhas gordurinhas elas não mais são vistas como um desvio de conduta ou um atestado de “eterna gorda infeliz”, muito pelo contrário, retratam minha conduta de ser trabalhadora da mente, de ser alguém que acredita que tem um “algo a mais” além do físico. Ao contrário de muitos, posso usar a paródia sem a menor dúvida: “Quem me conhece me compra!”.
Sofia (dez/2009)
 
Nasci um bebezinho saudável, mas rapidamente estava um bebe obeso, com 1 ano de idade pesava 15 kilos e ai começou minha batalha. Com 1 ano o pediatra pediu q minha mãe fizesse meu primeiro regime no qual fiquei anemica e não magra, meu primeiro fracasso.
Meu peso máximo foi 106 kilos e o minimo 68 (a base de remédios e depressão). O meu maior peso foi em 2008, me pesei 106 kilos, não sei se passou disso pq depois não me pesei mais. Emagreci 20 kilos, por conta de uma desilusão amorosa, acabado meu problema voltei a engordar. Em 2010 estava beirando os 100 kilos novamente qdo resolvi tomar uma atitude.Emagreci alguns miseros kilos e estacionei nos 96 k. Estava ficando louca c isso e minha auto estima, ah! auto estima nem sabia o q era, foi quando percebi q eu precisava de ajuda e ao invés de procurar um médico (pra tomar mais remédios) resolvi procurar uma psicóloga. Comecei a pesquisar e achei Rejane Sbrissa, pelo site pense magro, vi a salvação...Iniciamos nosso trabalho em julho de 2010 eu c 96kg e ela me puxando a orelha (com carinho), 7 meses depois de muita conversa vi que sem Foco e Consciência (palavras q ouvi muitoooo) não saiamos do ponto de partida. Então resolvi me juntar a pessoas q tem o mesmo propósito que eu, hoje tenho amigas q estão passando pela mudança assim como eu. Ainda não estou 100% mas vou ficar ...
Hoje, depois de um ano de trabalho, estou com 86 kilos (pra um ano é pouco, mas pra q pressa?!). Me sinto uma vitoriosa, faço melhor minhas escolhas. Sai do automático, ainda tenho pequenas crises, mas nada q me prejudique no processo de emagrecimento.
Muito obrigada por me ajudar nesse processo. No próximo aniversário quero voltar aqui para agradecer a minha vida saudável e minha meta alcançada...
Muito obrigada.

Lucy
34 a
julho2011
Quero contribuir com o meu depoimento no site pense magro, acho que não dá para
cometer todos os erros do mundo numa só vida, é necessário compartilhar. No geral
sou uma mulher saudável, só possuo um tormento, fome emocional, como
compulsivamente, e o resultado é triste.
Não tenho intenção de ser linda como aquela celebridade ou sexy como a outra, "não".
Eu só quero ser eu mesma com 30 kg menos.
Hoje estou com 40 anos, passei minha vida inteira infrentando este desafio, e só
possuo o histórico de muitos regimes fracassados e incoformada com a ideia de não
conseguir controlar minha própria boca.
Não tomo remédios para emagrecer, porque, aprendi as duras custas que não resolve a
longo prazo, porque o problema é emocional e não é físico. Sei que seria uma grande
ajuda um atendimento psiquiátrico, mas, não tenho condições de pagar as consultas
para o tratamento. Já entrei na lista de espera para tratamento em Instiuições com
atendimento gratuito, mas o meu perfil não é interessante, não tenho mais de 100kg,
tem muita gente em situação pior que a minha e isso me deixa muito triste também.
Me sinto uma viciada por comida, e estou tentando me reerguer a cada dia. Me sinto
frágil e impotente, mas, a cada fracasso, encontro forças para tentar novamente. Não
vou desistir de mim. Grata pela atenção.
Vera Lucia  
outubro/2011
Gostaria de contribuir para os depoimentos do site Pensa Magro.

Vou contar um pouco sobre minha história: Fui magra até os 12 anos. Nessa
época tive anemia, tomei remédio e também esses medicamentos para abrir o
apetite, desde então sou gordinha. Com 15 anos começou a minha guerra de
querer emagrecer, pois achava que nunca iria arrumar namorado, ficava
triste quando os meninos bonitos "ficavam" com as meninas magras e lindas,
fiz de tudo, mas nunca consegui. Me achava feia, gorda demais e que nunca
teria um namorado "bonito" e assim foi até os 20 anos. Um belo
dia comecei a prestar atenção ao meu redor e achar esse negócio de
beleza ridículo, pois até os famosos lindos e ricos viviam casando e as
meninas que eu considerava lindas trocavam muito de namorado e que nojo
sair por aí beijando demais. Desisti de querer emagrecer e comecei a me
aceitar, pois finalmente aceitei como Deus me fez. Com 24 anos procurei uma
nutricionista, pois estava me sentindo cansada ao caminhar. Quando
conversei com ela, uma das perguntas foi: "Por que você quer emagrecer?" e
eu respondi: Por causa da minha saúde. Fiz reeducação alimentar e consegui
emagrecer um pouco. Hoje falta apenas 6 quilos para obter o peso ideal. O
que eu dizer para vocês garotas e que só consegui emagrecer porque descobri
que eu tenho amor próprio e porque  tinha uma forte razão. Deixei de lado
críticas e opiniões alheas. Deixei de lado esse negócio de beleza a todo
custo. Hoje tenho 25 anos e eu me sinto feliz, me acho bonita e as pessoas
tem que me aceitar como sou: gorda/magra/feia/bonita/alta... a minha auto
estima esta maravilhosa. O nosso esforço só vale a pena quando nós sentimos
bem interiormente para conseguir ir adiante em qualquer situação.

Obrigada!
Mirian nov/2011
Olá Rejane, 
Li o livro Pense Magro no ano de 2012, até tentei fazer as atividades propostas, mas
após 2 semanas desisti. Tinha 27 anos, 1,57 e 85 kilos, manequim 46. Sofria muito
com a forma como as pessoas me olhavam e mais ainda com seus comentários
destrutivos, penso que entrei em depressão. Em 2013, cansei de sentir pena de mim
mesmo e resolvi ir a luta, voltei a ler o livro e mudei totalmente minha forma de
pensar. Parei de ceder aos caprichos do meu estômago, entendi que eu precisava me
alimentar para sobreviver e não viver para comer. Posso ser feliz de outras formas,
posso comemorar de outras formas ou comendo coisas saudáveis. Percebi que não vou
morrer se ficar sem comer algumas horas, precisava apenas me reeducar. Após  9 meses
eu cheguei no peso que eu NUNCA imaginei alcançar, 54 kilos, 31 kilos eliminados com
meu esforço, sem remédios \0/\0/\0/.
Hoje quando a tentação por guloseimas bate à minha porta, eu penso: Prefiro vestir
38, vestir roupas bonitas, me sentir bem, comer me trará um prazer momentâneo e um
pesar terrível depois. Os exercícios físicos me motivam a comer melhor, são tão
difíceis e cansativos que desisto de comer porcarias e perder o sofrimento da
academia rsrs.
Espero ter contribuído para o seu site.

Um abraço.

 Sophia 
 
Depoimentos
Orientação on-line !
Pense Magro
Quem Somos
A profissional
História de Sucesso - Rejane Sbrissa
 
 
 
 
 
Pense Magro - pensemagro@pensemagro.com.br - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Tudonanet